Viseu junta-se ao mundo na Greve Climática Estudantil desta sexta-feira

Viseu é umas das 14 localidades portuguesas que esta sexta-feira (24 de setembro) acolhe a Greve Climática estudantil. A iniciativa está agendada para as 10h00 em frente ao edifício da Câmara Municipal. O protesto acontece também em Albufeira, Aveiro, Braga, Caldas da Rainha, Coimbra, Faro, Funchal, Guimarães, Lisboa, Mafra, Porto, Santarém e Sines.
O ambiente é apenas uma das causas da iniciativa cuja "narrativa" distribuída aos ativistas equipara a crise climática ao "sexismo, racismo", discriminação de deficientes e "desigualdade de classe".
O protesto, que tem marcadas quase 1.500 ações em vários países do mundo, 14 das quais em cidades portugueses, intima "os colonizadores do Norte" a pagar "a dívida climática pela quantidade desproporcional" de emissões poluentes ao longo da História.
"A crise climática não existe num vácuo. Outras crises socioeconómicas como o racismo, o sexismo, a discriminação de deficientes, desigualdade de classe e outras amplificam a crise do clima e vice-versa", lê-se num manifesto divulgado na página internet do movimento "Fridays for Future".
Nele se fornece aos ativistas que aderem ao protesto uma "narrativa" em que o inimigo do movimento surge claramente identificado: "a elite do Norte Global que causou a destruição das terras dos 'Povos e Áreas Mais Afetados' através do colonialismo, imperialismo, injustiças sistémicas e ganância cruel que acabou por causar o aquecimento do planeta".
É esse "Norte Global" que é "responsável por cerca de 92 por cento das emissões em excesso", refere o “Fridays for Future”, que considera que a maior parte dos roteiros para a neutralidade carbónica pecam por implicar "efeitos secundários arriscados para as populações locais", como a perda de território para as florestas que se pretende plantar.
"Precisamos de planos concretos e orçamentos carbónicos anuais, não os planos vagos de neutralidade carbónica com que os líderes mundiais têm acenado", defendem.
Outras medidas que pedem são "reparações climáticas antirracistas", o cancelamento de dívidas decorrentes de fenómenos climáticos extremos e "fundos de adaptação" que sirvam as comunidades.
O movimento realiza protestos desde 2018, ano em que a ativista sueca Greta Thunberg, então adolescente, faltou durante várias semanas às aulas em frente ao parlamento sueco.


Publicidade

 

 


2021-09-23 15:37:25
Autor: Irene Ferreira

Outras Notícias


Local

Projeto Erásmus + leva alunas e professores da Escola Secundária Alves Martins (Viseu) à Sérvia

No âmbito do projeto Erasmus+ “Facing ICT Challenges”, quatro alunas e dois professores da Escola Secundária Alves Martins (ESAM), em Viseu, participaram na iniciativa de mobilidade Short-term exchange of groups of pupils “Fun assessment”, viajando até à Sérvia.
A comitiva viseense foi composta pelas alunas Maria Inês Lemos, Maria Miguel de Sousa, Constança Amaral e Catarina Cardoso do 12º M e pelos professores Luís Pinto Domingues e Maria de Fátima Mendes.

Durante a estadia, que teve a duração de uma semana, as alunas da ESAM tiveram a oportunidade de apresentar Portugal, a cidade de Viseu, a escola e o sistema educacional a todos os participantes “evidenciando aspetos culturais como a gastronomia, arquitetura, dança e o património”.
Segundo a escola secundária Alves Martins, as alunas portuguesas “observaram aulas de TIC e empresas cujo principal interesse é TIC” e realizaram atividades de aprendizagem/ensino usando ferramentas da web.
Também “efetuaram excursões a locais de importância histórica e cultural. Sombor, nomeadamente à cidade de Novi Sad, capital Europeia da Cultura em 2022”, refere a escola acrescentando que desenvolveram, ainda, competências linguísticas na língua inglesa.
“Foi uma semana repleta de excelentes aprendizagens e foi com muito orgulho que representamos a ESAM na Sérvia. Esta semana fica na nossa memória”, afirmaram as alunas.
Para além de Portugal e da Sérvia, fazem também parte do projeto, países com a Macedónia do Norte (país coordenador), a Turquia e a Hungria.

Local

Covid-19: região de Viseu continua com número elevado de novos casos

Esta sexta-feira (21 de janeiro) fica marcada por um novo recorde nacional no número de novos casos de Covid-19: há mais 58 530 infetados e 49 mortes nas últimas 24 horas relacionadas com a infeção.
No distrito de Viseu, Tondela conta com mais 92 casos e Mangualde registou mais 88 doentes com o novo coronavírus, Tarouca mais 57, Moimenta da Beira conta com 40 novos infetados, S. João da Pesqueira com mais 36 e mais 25 em Penalva do Castelo.
No concelho de Tabuaço surgiram nas últimas 24 horas, 24 novos casos.
Relativamente aos últimos quatro dias, a autarquia de Santa Comba Dão refere-se a mais 32 infetados por covid-19. No concelho de Resende surgiram na última semana 188 novos casos.

Política

Legislativas: as mulheres estiveram em destaque, em Viseu, na campanha da CDU

 A CDU realizou uma instalação e uma Tribuna Pública, para divulgar os compromissos que assume com as mulheres do Distrito de Viseu. Uma tribuna pública acompanhada de 24 pares de sapatos e cinco gaiolas, "retrato e denúncia da situação das mulheres no nosso distrito", refere a força política.
"Em cada par o rosto de uma mulher, um retrato possível das mulheres reais que vivem em Viseu e para quem a igualdade não é mais que a intenção inscrita na lei, mas ainda não concretizada na vida. Cinco gaiolas, símbolo do encarceramento em que vivem mulheres reais do distrito de Viseu, aprisionadas nas redes do tráfico ou no medo dos agressores, vítimas das múltiplas formas de violência, em que os baixos salários assumem particular destaque", diz um nota de imprensa da CDU.
A ação foi complementada com a distribuição de um documento dirigido às mulheres nas fábricas com mão de obra maioritariamente feminina e uma reunião com o Movimento Democrático de Mulheres, para além da publicação de vídeos de mulheres apoiantes nas redes sociais e divulgação dos compromissos que a CDU assume com as mulheres do distrito.

País

Legislativas: mais de 310 mil eleitores inscritos para voto antecipado

O número total de eleitores que se inscreveram para votar no voto antecipado em mobilidade, no domingo (23 de janeiro). nas eleições legislativas é de 315.785. Os dados são do Ministério da Administração Interna (MAI), divulgados esta sexta-feira.
Ainda assim, os eleitores que tenham feito a inscrição no voto antecipado em mobilidade, mas não consigam exercer o seu direito de voto no domingo, podem ainda votar no dia 30 de janeiro.
Os eleitores inscreveram-se num local de voto à escolha num município do continente ou das regiões autónomas dos Açores e da Madeira, através de meio eletrónico em www.votoantecipado.mai.gov.pt ou por correio enviado para a Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna.
Nas anteriores legislativas, em 2019, mais de 50 mil eleitores votaram antecipadamente, uma semana antes das eleições, enquanto nas presidenciais de 2021, já durante a pandemia de covid-19, 197.903 portugueses exerceram o direito de voto uma semana antes da data do ato eleitoral.
Numa nota enviada à Lusa, o MAI apela para “o rigoroso cumprimento das normas de segurança sanitária durante o exercício de voto”, nomeadamente utilização de caneta própria, máscara, distanciamento social e higienização das mãos.

Local

Mortágua: Câmara Municipal isenta taxas de esplanadas e toldos na via pública até ao final do ano

A Câmara Municipal de Mortágua aprovou a isenção de pagamento de taxas relacionadas com a ocupação da via pública com esplanadas e toldos, até ao final deste ano de 2022.
A medida excecional pretende, segundo a autarquia, apoiar o setor do comércio e restauração, "que há largo tempo vive num contexto de grande dificuldade económica devido ao prolongamento da situação epidemiológica e ao grau de incerteza quanto à duração da mesma, com forte impacto negativo nos negócios".
O presidente da Câmara Municipal, Ricardo Pardal, refere que a medida é “um contributo do município para apoiar e incentivar um setor que tem sido dos mais afetados pela crise pandémica e que está muito sujeito às oscilações da covid, com os condicionamentos legais daí decorrentes no seu funcionamento normal”.
Além da medida de isenção de taxas associadas à ocupação do espaço público, a Câmara Municipal de Mortágua pretende, no decurso de 2022, envolver os comerciantes na criação de um programa estruturado de relançamento do comércio local, sendo que "o ponto de partida passa por auscultar os próprios, no sentido de identificar pontos fortes e pontos fracos nos vários setores, discutir ideias e propostas, e definir uma estratégia conjunta para promover a dinamização, modernização e sustentabilidade do comércio local”.
Esse programa assenta, como refere a autarquia em comunicado, num conjunto de ações, tais como disponibilizar ajuda especializada ao nível do marketing, para que o comércio local se adapte e se modernize em termos da adoção de canais e formatos de comunicação adequados e com uma maior flexibilidade perante os novos hábitos de consumo; estimular a modernização tecnológica como resultado da adesão dos comerciantes ao trabalho de marketing; e fomentar o trabalho colaborativo entre o comércio local, as associações do concelho, e a gestão dos espaços públicos e equipamentos do município, no tocante à realização de iniciativas abertas ao público.

Local

Tabuaço: um detido em flagrante por caça com meios proibidos

Por caça com meios proibidos, um homem de 45 anos foi detido pela GNR, no concelho de Tabuaço.
No decorrer de uma ação de fiscalização, os militares detetaram um indivíduo a caçar aves com recurso a meios proibidos, nomeadamente um chamariz eletrónico, motivo que levou à detenção em flagrante.
No decorrer da ação foi apreendida uma arma de caça, um estojo da arma de caça e um chamariz eletrónico.
O detido foi constituído arguido, e os factos foram remetidos para o Tribunal Judicial de Moimenta da Beira.